Iradex Podcast 133: IradELAS - Nunca Me Sonharam / Anne With an E / I Love Dick

Iradelas voltou, bem na sua cara!

E dessa vez quem se junta a Lívia e Luiza é a nossa querida amiga Marina Solon.

Aqui as indicações acabam por ser pano de fundo para debates muito mais profundos sobre várias questões sociais e políticas que tanto afligem nossa sociedade.

De documentário sobre ensino, série sobre orfandade, até uma obra adaptada que fala sobre desejo e realizações pessoais. E ainda tem muita música boa!

Queremos mais Iradelas o quanto antes!

Download e feed: DOWNLOAD MP3 // FEED RSS // iTUNES

Participaram desse podcast: Lívia Lopes, Luiza Lima e Marina Solon (indicamos demais seguir as meninas no Twitter :D).


Contribua com o Padrim do Iradex

keep-calm

Nesse Programa

Links

Assine o podcast

Rede Iradex

Contatos

Playlist

  • Adah Conti

    Delicia de IRADELAS! Emocionante a indicação da Luiza, tão importante, nesse país desigual, a gente estar sempre buscando conhecer a realidade dos mais pobres. Educação é o único caminho. E apesar de programas sociais de resgate como bolsa escola ( que evoluiu para o bolsa família) serem fundamentais, só teremos um governo que se empenhe nessa área, quando nós, sociedade, tivermos isso como um valor maior.
    Lívia me convenceu total de ver a Anne. E é taaaaao bom ouvir a Lívia!!!!!
    Marina, que ainda não conheço e já considero pacas , também me convenceu total de ir atrás do Dick. Rsrsrs. Só indicações de primeira!
    Me senti feliz por ser mulher e por ser ouvinte do IRADELAS
    E olha que hoje foi um dia daqueles!
    Obrigada!!!!!!
    Queria retribuir indicando pra vcs o documentário Eu Maior ( tem no YouTube). Duvido não chorarem no depoimento da Vanete ( lá pelo minuto 30). 😘

    • Luiza Lima

      Verei demais. Que honra, Adah. E vc vai conhecer Marina, vcs vão se dar muito bem. Obrigada pelo carinho. Beijo

  • Breno Ramon

    Iradelas sempre fantástico, muito bom. Ouvindo a primeira indicação lembrei de tanta coisa, como uma pessoa que teve uma infância pobre(e boa parte da adolescência) e aluno de escola pública a vida toda, chorei demais. Lembrei das palavras de minha mãe “A única coisa que eu posso lhe deixar é a educação”, meu pai sempre caladão, eles como a maioria do povo interior nordestino não tiveram oportunidade para estudar, meu pai analfabeto até hoje, e minha mãe voltando a estudar somente quando eu e meu irmãos estávamos já mais velhos, sempre foram a força motriz que me fez seguir em frente. Não gosto muito de comentar pelo que passei, mas as vezes é bom expor um pouco.
    Na infância meu pai se deixou levar pelo álcool e isso foi muito duro para todos nós, principalmente para minha mãe, imagino, sempre mulher forte e batalhadora. A gota d’água foi quando meu pai sofreu um acidente de carro com meus irmãos e depois de muita luta deu tudo certo, após esse acidente ele procurou ajuda e conseguiu sair dessa. Desde de pequeno eu via o esforço que minha mãe fazia para criar a todos. Senti muita raiva de meu pai por a fazer sofrer, mas consegui perdoá-lo, Se manter no caminho certo é muito difícil quando se tem tanta coisa lhe puxando para o lado.
    Comentando sobre o bolsa escola(hoje bolsa família), lembro que a primeira coisa que minha mãe fez ao receber o benefício foi me colocar em um cursinho de inglês, na época ficava chateado, que ao invés dela me dar aquele dinheiro usava para aquilo, pois via que era isso que os pais dos meus amigos faziam, não entendia que ela sempre pensou no meu futuro, quando não se tem muito pensar a longo prazo é bem complicado, mas que bom que ela fez aquilo. Como já disse, se manter no caminho certo é muito difícil… Aos 14 anos roubei pela primeira e única vez, eu e mais 2 amigos pegamos o celular da mochila de um carinha endinherado que estudava com a gente, vendemos aquele celular por uma mixaria, quando peguei o dinheiro me senti tão mal e pensei nos meus pais, e então nunca mais fiz aquilo, muitos não tiveram a mesma sorte e hoje em dia muitos do que estudaram comigo estão presos. No ensino médio consegui passar em um Instituto Federal, e a educação ali mudou minha vida para sempre…
    Pensei que seria um relato mais curto, mas fui me deixando levar e não chega a quase nada dessa quest louca chamada vida. Valeu, Iradex.

    • Luiza Lima

      E olha que alegria vc fazendo mestrado… Vc tem toda razão, nossa única arma é o estudo, mas ele não vem fácil e somos exceção, não a regra. Me emociono muito quando falo desse assunto. Parabéns a vc e sua mãe. Beijo

  • Nunca é tarde pra dizer que Iradelas maravilhoso quero mais. Marina me vendou total o I Love Dick, já quero muito ver essa série.