Caça aos Fatos: Ícaro - Doping Esportivo

"Tudo o que posso fazer é competir limpo e mostrar às pessoas que é possível vencer sem trapacear" – Usain Bolt

Ao saber que seu companheiro Nesta Carter da equipe jamaicana foi flagrado com o estimulante metilhexaneamina após reanálise das amostras colhidas em Pequim, Bolt devolveu sua medalha de ouro do revezamento 4 x 100 m conquistada em 2008.

O uso de substâncias proibidas para melhorar performance em competições de alto rendimento é uma realidade que impacta até quem não faz uso e suja o esporte.

O ciclismo é o maior exemplo com seu histórico de vitórias anuladas e práticas perigosas, como estoque de bolsas de sangue para trocas durante etapas do circuito, trapaceando assim o controle antidoping “surpresa” que coleta amostras dos atletas. Métodos proibidos adotados por toda a carreira de Lance Armstrong.

Depois de muito negar, o maior nome do ciclismo admitiu o que todos já suspeitavam: aquela saúde que rendia títulos, fama e dinheiro não era natural.

Essa revelação fez com que Bryan Fogel, cineasta e ciclista amador, se submetesse a um processo de doping como cobaia enquanto documentava a melhora de seus resultados pedalando.

O objetivo era provar que o sistema antidoping no esporte é falho.

Para isso, ele contactou o russo Grigory Rodchenkov do laboratório antidoping de Moscou, que lhe receitaria as substâncias a serem usadas e procedimentos via Internet.

Quando o filme começa a ficar entediante com a rotina de injeções, efeitos colaterais, videoconferências e etapas do ciclismo semiamador, uma TV alemã revela o esquema de doping no atletismo russo a poucos meses das Olimpíadas no Rio de Janeiro em 2016.

Quem coordenava o amplo sistema de dopagem de atletas russos? Rodchenkov.

A fonte do documentarista estava totalmente envolvida e mudou o olhar do cineasta para algo além do que ele imaginava.

Eram os fatos se desenrolando em tempo real, ampliando o escopo e os personagens da história a ser contada. Revelações que envolviam campeões olímpicos, agentes do serviço secreto e autoridades do Kremlin.

A vida do doutor russo estava em risco e o filme ganhou urgência e relevância, que o fizeram conquistar o prêmio da audiência no festival de Sundance e o suporte da Netflix.

Um thriller factual revelador onde a verdade é a substância a ser testada.

Onde assistir: Netflix


Aconteceu na vida? O documentário mostrou? A biografia revelou? A coluna Caça aos Fatos recomenda!
Conheça histórias dos outros, analisadas por Bruno Garcia.

  • Mackenzie Melo

    Caramba, que história! Esse eu vou ver, com certeza. Obrigado, cara!

    P.s.: ao ler sua resenha, lembrei do documentário dos irmãos franceses sobre os bombeiros de NY e que também acabou se tornando algo totalmente diferente. É que eles estavam nas ruas seguindo o trabalho que queriam documentariar bem no dia que as Torres Gêmeas caíram, 11/09. Você já viu esse, Bruno?

    • Mackenzie, não vi esse documentário sobre as Torres Gêmeas. Você lembra o nome? Pois agora tenho que ver!

      • Mackenzie Melo

        Se eu bem me lembro, Bruno, é a data do atentado. 11/9 ou 9/11.