Saindo da rotina com o Fortaleza, Rony Jason e Unimed Fortaleza

Hoje, domingo, 21 de outubro de 2012, foi o dia que entrei no gramado com meu time do coração e conheci o lutador Rony Jason.

Sim, o Vlog Iradex da semana foi atrasar e a culpa toda é da Unimed Fortaleza. Calma, o vídeo ainda estará essa semana no YouTube. Foi por um bom motivo. Domingo geralmente passo o dia inteiro editando ou preparando as postagens da semana desse blog e do vlog. Esse foi bem diferente.

A Unimed Fortaleza me levou, com direito a um acompanhante, ao estádio Presidente Vargas para assistir meu Fortaleza jogar. Além do mais, me presenteou com uma camiseta exclusiva dos 94 anos do clube, fez com que eu subisse no gramado junto com os jogadores e, como se não bastasse, ainda levou Rony Jason à Tribuna de Honra pra trocar uma idéia comigo. Lógico que tietei o lutador de MMA do UFC.

Confira as fotos e o resumo do fabuloso dia.

O dia começa recebendo brindes especiais da Unimed Fortaleza

Depois dos brindes, das apresentações e da explicação de como seria o dia, começamos a rodar um documentário. Falei sobre o time, sobre minha ligação com futebol e com o Fortaleza, sobre os familiares e muito mais

Falando mais um pouco sobre o Fortaleza

Antes de subir a campo, uma visita ao museu no lobby do Estádio Presidente Vargas

Minha visão com a GoPro da saída do tunel. Mais uns segundos e entraria no campo com o time

O corredor feito pelas animadores de torcida do Leão, as Leoninas. Alí, na saidinha do túnel que dá acesso ao gramado

Com a fiel parceira GoPro atrás do jogador Geraldo antes da saudação à torcida. Domingão de sol em Fortaleza!

Finalmente na confortável Tribuna de Honra do estádio. Essa era nossa visão!

De surpresa ainda ganhamos a visita do Rony Jason, um dos novos ídolos do esporte aqui na Capital. O atleta é patrocinado pelo Fortaleza, além de torcedor. Rony demonstrou simpatia e trocamos uma rápida ideia, o soco foi só para a foto

Ah, sim, o Fortaleza venceu a partida contra o Icasa de 1 a 0 e fez jus ao #FEC94anos.

Valeu Unimed Fortaleza.

Fifa 13: Primeiras impressões da jogabilidade e Ultimate Team

Começou oficialmente a temporada 2013 para mim. Sim! Comecei a jogar Fifa 13 e os dedos começam a cair.

Pronto! Não contem mais comigo. Não contem com o videocast iradex semanal… simplesmente me esqueça! Recebi a nova versão do Fifa e minha vida voltou a sumir. Vou escrever sobre as primeiras impressões que tive com o jogo e sobre o sensacional modo Ultimate Team.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Assumi o Fifa em 2009, antes disso eu jogava PES e mais antes ainda jogava Winning Eleven (um minuto de silêncio!). Com o Fifa 2010 passei a respeitar a franquia e apaixonei de verdade após a constante evolução até o Fifa 2012, o ápice dos jogos de futebol.

Fifa 13 vem com esse legado de não precisar evoluir muito. Fiz nove jogos, dentre os quais cinco foram online, mas não senti tantas mudanças. O que é bom! Senti que os goleiros estão mais espertos ou que os jogadores de linha estão mais realistas. Explico…

Antes, chegar na cara do gol era o mesmo que dizer: foi gol. Apenas uma leve deslocada no goleiro e tava na rede. A deslocada no goleiro tem que ser mais aprimorada. Isso acontece, pois as habilidades do jogador foram enaltecidas. Ora, salvo exceções, zagueiro é zagueiro. Fazer um gol com ele que não seja de cabeça vai ser um pouco mais custoso e isso está mais do que correto.

Ainda assim, voltei a fazer os gols com aquele jeitinho maroto. Tentei quatro chutes de fora da área, da diagonal, encobrindo o goleiro; dois foram bem sucedidos. Fácil. O zagueiro continua errando na marcação quando o passe vem por cobertura, o que deixa o atacante na cara do gol. Enfim. Mudou, mas não tanto assim.

Percebi, mas estudarei se foi alguma configuração feita na minha formação, que os meio-campistas não estão guardando tanto a posição. Meu CDM chegou diversas vezes ao ataque, enquanto que o CM da direita apareceu algumas vezes no lugar do CM da esquerda. Vou estudar e depois comento mais sobre isso.

Dominar a bola ficou mais difícil, mas nada de outro mundo. Segurar o gatilho de trás esquerdo ajuda e muito. Entretanto, se vier um chumbo pra cima de um zagueiro e ele for tentar dominar, a bola poderá espirrar. Tentar o chutão ou o passe de cabeça são escolhas melhores. Tal dificuldade valoriza o toque de bola mais real e evita os passes miraculosos.

ULTIMATE TEAM

Como falei, praticamente só jogo o modo Ultimate Team. Nesse modo o jogador monta vários times baseando-se em cartas de atributos de jogadores reais e uma mistura de formação, posição e nacionalidade que juntos formam o tal da química do time.

No Fifa 12 montei seis times diferentes. Monto os times agrupando as cartas por nacionalidade ou por liga, a fim de facilitar a organização da química entre os jogadores. Nesse Fifa 13, como liberaram a versão web do Ultimate antes do lançamento do jogo, consegui faturar oitenta mil coins com a venda do Thiago Silva e já montei dois times medianos. São eles:

Um time praticamente com brasileiros. Bem mediano mas eficiente para a formação 4-3-1-2. Quem não funcionou e será substituído: Dagoberton, Maicon e Maxwell.

Menos completo do que o de cima, a proposta desse é ser quase todo de portugueses. Desse, quem rodará: Hugo Viana, Rémy e Rui Patrício.

Diferente do Fifa 12, e aponto essa como a melhor mudança desse modo, é que não jogamos mais de forma aleatória. Agora temos objetivos que não seja só ganhar coins, pois é possível ir jogando para ir sendo reankeando em divisões, tal como no Head to Head Season, outro modo também existente nesse Fifa 13 e anteriormente no 12. Antes, a maior vitória era montar o time. Agora isso é apenas o começo.

CONCLUINDO…

Fifa 13 não precisou melhorar muito para continuar o melhor jogo de futebol do mercado. Acredito que as mudanças mais perceptíveis sejam apenas passageiras, pois com uns dez jogos concluídos o gamer conseguirá se adaptar plenamente ao pouco que mudou.

Avaliação

Trailer de (fdp), nova série brasileira da HBO

Jogue o preconceito de lado e aposte na boa premissa e na produção da HBO. (fdp) tem potencial!

A premissa é muito boa, afinal, quem nunca xingou um árbitro de filha da @$#%? Nunca tentamos enxergar o universo do futebol aos olhos desse personagem extremamente relevante para o espetáculo e agora é a chance. A série estreia dia 26 de agosto de 2012, domingo, às 20h30m, na HBO via TV a Cabo. Logo após, será possível assistir ao episódio online, no site HBO Max.

A primeira temporada terá treze episódios, cada um de trinta minutos. Os roteiros serão baseados no cotidiano, nos conflitos éticos, na violência e em diversas outras situações envolvendo os árbitros.

O elenco conta com Eucir de Souza, Maria Cecília Audi, Adrian Verdaguer, Cynthia Falabella, Paulo Tiefenthaler, Saulo Vasconcelos, dentre outros. Nomes do meio futebolístico como Rivelino, Dentinho, Basílio e do jornalista esportivo Juca Kfouri farão participações especiais.