Maledicência

A maledicência atormenta a vida em todas as dimensões, gerando complexidades geométricas.

Maledicência é um matemático conto escrito por Milena Azevedo e distribuído em primeira mão aqui no Contos Iradex. Embarque nessa leitura.


MALEDICÊNCIA

Amigos inseparáveis são o Triângulo, o Quadrado e o Círculo. Aonde um ia, os outros dois estavam lá. No entanto, o Cubo, o Trapézio, o Octaedro, o Retângulo e até a Reta e o Ponto, não se conformavam em ver a alegria dos três amigos.

A Reta era apaixonada pelo Triângulo, mas como o mesmo nunca lhe deu bola, começou a espalhar o boato de que ele não podia ver um “ângulo” que já queria se “emparelhar”.

O Ponto tinha uma rixa medonha com o Círculo. Cismou que o Círculo era o culpado pelo seu complexo de inferioridade. Saía dizendo que, com aquela gordura toda, nunca aquela “bola” conseguiria dar “a volta por cima”.

O Cubo, metido a conquistador, implicava com o Quadrado por esse ser careta. Gritava para quem quisesse ouvir que o “Quadradão” nunca tinha visto uma “aresta”.

O Trapézio, o Octaedro e o Hexágono encarregaram-se de fazer com que todos passassem a acreditar naqueles impropérios. As más línguas não paravam de tagarelar sobre o Triângulo, o Quadrado e o Círculo.

O Losango e o Retângulo, mais centrados, não acreditaram nos comentários maldosos e saíram em defesa dos amigos. Tão logo, foram vítimas de rumores ainda mais bizarros.

Enquanto todos se preocupavam em detratar o Triângulo, o Quadrado, o Círculo, o Losango e o Retângulo, terminaram esquecendo-se de seus próprios afazeres e muitos setores da sociedade ficaram comprometidos. Havia problema na primeira, na segunda e na terceira dimensão.

Quem conseguiu segurar as pontas, aparando todas as arestas, unindo todos os ângulos e dando a volta por cima, foram justamente o Triângulo, o Quadrado, o Círculo, o Losango e o Retângulo.

O Ponto, o Cubo, o Trapézio, o Octaedro e o Hexágono sentiram-se envergonhados por terem causado tamanho estrago, e acabaram formalizando um pedido de desculpas.

Já a Reta, fofoqueira de primeira, não sentiu remorso algum. Essa sim passou a ser motivo de chacota, por várias gerações, em todas as dimensões.


Esse conto foi escrito por Milena Azevedo para o Contos Iradex. Para reprodução ou qualquer assunto de copyright o autor e o blog deverão ser consultados.


Sobre a autora: Milena Azevedo é Mestre em História pela UNISINOS/RS, mas há quase dez anos tem se dedicado à escrita de roteiros para histórias em quadrinhos, e, mais recentemente, para cinema e videogames. Tem dois livros de poemas publicados de forma independente, O perfil da águia (1999) e Prometeu Livre - Um outsider no Olimpo (2005), além de ter participado de algumas coletâneas nacionais de poemas e contos. É também editora da revista eletrônica Garagem Hermética Quadrinhos.
Sobre o projeto: Contos Iradex é uma iniciativa daqui do site de colocar textos, contos, minicontos ou até livros mais curtos para a apreciação de vocês, leitores. Emendaremos algumas sequências com materiais da própria equipe e, em seguida, precisaremos de vocês para mais publicações. Se você tiver uma ideia de projeto, envie um e-mail para contos@iradex.net.
  • Muito interessante me lembrou do romance planolândia.

  • Muito interessante me lembrou do romance planolândia.

  • Robisom Lima

    Que massa! Fiquei aqui imaginando figuras geométricas tentando sair no tapa, mas sem conseguir, por “não se encaixarem”! hahaha… Muito bom!

  • Robisom Lima

    Que massa! Fiquei aqui imaginando figuras geométricas tentando sair no tapa, mas sem conseguir, por “não se encaixarem”! hahaha… Muito bom!

  • Arthur Zopellaro

    Gostei!
    Me tirou algumas risadas e terminei com um sorriso no rosto haha

  • Arthur Zopellaro

    Gostei!
    Me tirou algumas risadas e terminei com um sorriso no rosto haha

  • Muito obrigada, pessoal! E o Paulo matou a pau. Esse conto é uma homenagem ao Edwin A. Abbott, autor de Planolândia.

  • Muito obrigada, pessoal! E o Paulo matou a pau. Esse conto é uma homenagem ao Edwin A. Abbott, autor de Planolândia.

  • Pedro Sena

    Muito bacana!

  • Pedro Sena

    Muito bacana!