O Cravo Bem Temperado: Sinfonia Inacabada

Força e emoção

No mundo da música existem obras cujo autor, infelizmente, não teve a oportunidade de finalizar. Ainda assim, mesmo sem um desfecho, provam-se brilhantes. No texto de hoje falarei de uma obra assim: A sinfonia Nº8, de Franz Schubert (1797-1828). Uma das mais fortes composições que tive o prazer de escutar e sentir.

Repleta de força, a obra característica do período romântico – onde os contrapontos são ríspidos e muito fortes – é carregada de sentimentalismo. Uma composição repleta de altos rompantes e descidas melódicas. Não se sabe se Schubert originalmente teria pensado em uma sinfonia completa, com quatro movimentos, mas posteriormente essa sinfonia com dois atos foi apelidado de “inacabada”, por sua forma peculiar.

O compositor a escreveu em Viena, capital da Áustria, em 1822. Músico discreto e muito obstinado, nunca foi afeito aos olhares externos; seus trabalhos vieram ao mundo por amigos e admiradores que difundiram suas obras. Em 1823 ele agradeceria um diploma honorário de uma instituição com essa musica e, dessa forma, a obra tornou-se pública sob os olhares do mundo.

Conhecido por seu empenho e dedicação, é pouco provável que ele não quisesse uma sinfonia com 4 movimentos, pois tinha em mente entregá-la de presente à Sociedade Musical de Graz (Áustria). Como à época ainda era extremamente incomum uma obra com 2 movimentos ser classificada como sinfonia, o título inacabada pode, na verdade, apenas traduzir a realidade. Uma das provas que corroboram a ideia de que o músico apenas não teve tempo de finalizar a obra é uma carta datada de 7 de dezembro de 1822, destinada a seu amigo e nobre austríaco Josef von Spaun (1788-1865). Na correspondência, Schubert não incluiu a dita sinfonia na lista de composições que fizera.

Bem, como o mistério sobre a história real jamais será esclarecido, então, aproveite mais essa obra. Schubert nunca enumerou essa obra como nº8, mas como foi descoberta depois de sua morte, foi dado essa numeração para se encaixar no restante de suas obras.

O movimento inicial, “Allegro moderato”, começa com violoncelos e contrabaixos introduzindo as melodias, onde os oboés e clarinetes criam o primeiro tema dessa música. Já o segundo tema é criado por violoncelos acompanhados de violinos.

O que chamamos de Contraponto é a utilização de temas em uma música. Como esses temas dialogam e até mesmo se enfrentam, o primeiro movimento exemplifica-os, se chocando e criando um contraponto evidente.

O segundo movimento, “Andante con moto”, é iniciado pelo tema criado com violinos e o segundo tema com clarinete, circundando o segundo movimento. Esta etapa da composição é muito melódica e, ao mesmo tempo, calma, com um final sóbrio.

São obras como essa que despertaram a minha paixão pelo período romântico, onde a utilização desses contrapontos até a exaustão, de formas bem bruscas, caracterizam-nas como músicas passionais. Feche os olhos, ouça e sinta até onde a música pode te levar.

Playlist

Clique aqui para ouvir no Spotify


O Cravo Bem Temperado é uma coluna escrita por Vinícius Hilário, para nos aproximar da música erudita com um olhar atual e descomplicado.
Experimente, aprofunde-se, e deixe a boa música guiar suas emoções.