O Cravo Bem Temperado: Sonata

Forma e Som

Um novo ano se inicia e nossa jornada por conhecimento musical não para de avançar. Por isso, hoje eu quero falar sobre um estilo de composição musical conhecido e de técnica muito difícil. Você sabe o que é uma sonata?

O termo “sonata” deriva da palavra latina sonare (ou, soar). No início era usada para designar uma obra para solista de corda ou sopro, muito utilizado no período Barroco (séc. XVII a séc. XVIII). Posteriormente a sonata foi utilizada como uma composição que apresenta dois temas em contraste. Todo estilo que se compara à sonata foi chamado de forma sonata, um modo de composição muito utilizado no mundo da música.

Na forma sonata os temas expostos inicialmente se contrastam com o desenvolvimento da obra: no desfecho da musica ocorre a resolução, tanto temática como harmônica. É dividida em exposição, desenvolvimento e reexposição. Por exemplo uma sinfonia utiliza a forma sonata na sua estrutura, normalmente no primeiro movimento, mas não é estranho ver uma composição toda baseada na forma sonata.

O que conhecemos hoje como Sonata foi criado no período do classicismo (segunda metade do séc. XVIII até o início do séc. XIX), onde foi utilizado por quase todos os compositores, até se tornar uma obra de excelência e técnica nos tempos atuais.

No classicismo a sonata era composta especialmente para piano, e é essa que eu desejo que vocês ouçam. Uma história contada em música, onde temas duelam e se decidem no final.

Separei algumas composições para exemplificar a estrutura de uma sonata, onde podemos perceber, não exatamente em todas, um padrão.

• Primeiro movimento: rápido.
• Segundo Movimento: lento, com variações.
• Terceiro Movimento: dançante.
• Quarto Movimento: caráter explosivo.

Vale lembrar que o compositor é livre para modificar sua forma de escrita e mudar, de algum modo, o caráter da música. Alguns compositores utilizam sonatas em três movimentos,a diferença acontece no movimento dançante, que não é apresentando.

O estilo apresenta variações de temas, onde um entra em evidência deixando o outro em segundo plano. Durante o desenvolvimento da obra esses temas sofrem variações, apresentando texturas sonoras, onde é possível perceber a criatividade do autor. No final da composição é como uma reapresentação desses temas, porém, tocados de forma diferentes, mais acelerados e com maior intensidade.

Desejo a todos que este ano nos permita conhecer novas músicas e descobrir o gosto por esses clássicos. Feche os olhos e deixe-se levar.

Playlist

Clique aqui para ouvir no Spotify


O Cravo Bem Temperado é uma coluna escrita por Vinícius Hilário, para nos aproximar da música erudita com um olhar atual e descomplicado.
Experimente, aprofunde-se, e deixe a boa música guiar suas emoções.

  • Adah Conti

    E continuo a aprender mais um pouco graças a tua coluna. Tks. E as sonatas me acompanharam até o outro lado do mundo.

    • Vinícius Hilario

      gosto muito do estilo. são sempre muito fortes.

  • Mackenzie Melo

    Muito bom, Vinícius. A mais conhecida para mim é a 14 de Beethoven, mas não saberia jamais dizer o nome nem que era uma sonata. Obrigado por nos ajudar a aprender um pouco mais. Valeu.