Mixtape #8: Eletro Pop

Vamos começar o ano de uma forma suave, inspiradora e com dois maravilhosos artistas em seus segmentos do ELETRO POP.

Juntei nessa edição dois artistas que não se justapõe e sim são os dois extremos do estilo, podendo inclusive serem classificados como outros gêneros. O ELETRO POP surgiu nos anos 70, de origem europeia e, dependendo da pessoa que for escrever sobre, pode incluir artistas os quais nem todos concordam que se enquadram no gênero, já que o mesmo é extremamente abrangente. Mas, em sua totalidade é um tipo de Eletro que se caracteriza com mais synths e teclados, alguns mais novos incluem ainda o drum and bass, mas todos eles são pop, isso é indiscutível. Ou seja, são repetitivos de maneiras diferentes.

Tentei colocar artistas não tão conhecidos pelo público para que haja uma maior noção do que o gênero se trata. No geral são artistas que aparecem muito em DJ sets em praias ou lounge sets (aqueles mais gerais que não focam em um estilo específico de música eletrônica, como minimal ou down), tendo os artistas com uma menor crescente harmônica e aqueles mais up beat para meio e fim de set.

KONOBA

O primeiro artista não é tão conhecido assim, tendo poucas informações de fato sobre disponíveis. Raphael Esterhazy, conhecido pelo seu nome artístico KONOBA, é um belga que estudou música e produção musical na Inglaterra por 5 anos e depois retornou para Belgica para dar continuidade ao seu projeto. Nesse momento que surgiram eps como "Colours and Shapes", que alcançou premio de melhor música e melhor vídeo em Londres com a track ¨Ive been Dreaming¨.

Suas influencias musicais na produção de suas tracks são bem marcantes e diferenciadas, o que deixa o som dele algo um pouco mais original do que costumamos escutar. Conseguimos perceber Gotye diretamente inspirando parte dos vocais. Referencias com uso de técnicas de produção já utilizadas por vários artistas, porém que aparecem muito no trabalho de alt + j e Tame Impala, como Fagind Echo (efeito).

Eu particularmente gosto bastante desse estilo de eletro indie com melodia sensual, sonoro, inspirador e que consegue transmitir sensações de tranquilidade e paz na harmonia normalmente com referencias e metáforas românticas.

On our Knees, música mais famosa do artista, tem temática romântica, e a melodia que explora isso é leve, constante e apaixonada, com aquela intensidade introspectiva. Sem grandes evoluções de beats ou synths, possui uma harmonia que engloba de forma envolvente, com vocais que não sobrepõem a música e sim parecem ser só mais um instrumento na composição.

Na segunda track, os vocais são bem mais marcantes e dominam a música, e a mesma tem uma pegada mais pop. Você consegue sentir o estilo "pergunta e resposta" (onde os dois vocais se completam tanto nas letras quanto na ordem em que aparecem na música) nos vocais que em momentos específicos se misturam em uma só voz. Existe uma interação entre os dois interpretes que costuma ser muito interessante pra quem está escutando, algo usado em músicas como Young Folks. As batidas, também marcantes, se sobressaem de todos os outros instrumentos musicais. Existe um break bem específico na música, inusitado, mas em geral é uma música tranquila com quebras muito concisas (e na minha opinião são muito abruptas, de uma maneira não tão boa).

Konoba - On Our Knees (feat. R.O)

Konoba - I'M A WOLF (ft. Ellie Ford)

SIGMA

A banda que tem um clipe com a Eleven do Stranger Things (e essa introdução é mais que necessária).

Se Konoba era claramente uma música de começo de noite, agora vamos passar pra música do ápice, up beat. O outro extremo do eletro pop, SIGMA, é caracterizado inicialmente como drum and bass, porém se você se ater e for pesquisar e escutar, tem os objetos que caracterizam tanto como drum and bass quanto eletro pop, o que muitos críticos consideram uma péssima mistura. Eu particularmente considero uma ótima combinação, dá certo e fica extremamente sonoro, além de ser uma receita para uma música up beat do começo ao fim.

SIGMA é um duo de DJs de drum and bass (ao menos é sua caracterização formal de inicio de carreira – 2006), mas como a evolução do duo composto por Cameron James e Joseph Aluin, o mesmo acabou enveredando por um estilo mais pop, o eletro pop, ainda com elementos que mostram suas origens, mas não tão sobressalentes quanto antes. Já atingiram número 1 em charts com sua track Changing em colaboração com ninguém menos que Paloma Faith. Sem dúvida eles sabem muito bem com quem fazer feats que funcionam.

Find Me feat Birdy é uma track que estrela Millie Bobby Brown (Stranger Things). É um video que casa muito bem com a música. Os dois contam com elementos da sensação de busca de evolução, usando elementos que transmitem movimento. A música tem todos os aspectos de música hit do verão do ano, inclusive me lembrando dos primeiros grandes hits do Calvin Harris como Feel So Close. O vocal de Birdy foi a escolha perfeita, com técnicas e alcances diversos ao longo da música, combinando perfeitamente com a evolução melódica.

A segunda track do duo possui mais elementos que são característicos do drum and bass, porém ainda assim tem uma veia muito marcante de eletro pop, com o vocal comovente e uma letra simples e repetitiva.

Sigma - Find Me ft. Birdy

Sigma - Nobody To Love


Hanna Pinheiro, DJ desde 2010 das grandes festas de rock de Fortaleza, destaque das noites da cidade com várias referências nos sons nacionais e também uma pesquisadora de musicas novas. Já foi DJ residente do Orbita Bar e DJ da Festa Fliperama. Atualmente tem residência no Berlinda Club.