O Cravo Bem Temperado: Noturno

A melancolia e a sensibilidade de um noturno.

Existem obras que possuem força em sua melancolia e que, de uma certa forma, conseguem transmitir essa emoção durante toda a composição. Um Noturno, por exemplo, é uma obra feita com inspiração na noite ou em evocação a ela. Acredita-se que o gênero tenha sido criado por John Field (1782-1837).

Sua primeira aparição aconteceu no séc. XVIII, na forma de uma obra com muitos movimentos, empregada em eventos sociais realizados durante a noite, sem necessariamente exaltar a noite. Assim como a serenata, no entanto, ela deveria ser reproduzida à noite. Os primeiros noturnos compostos por Field eram um tradução na forma de música das óperas e canções para o piano e, de uma certa forma, lembra os noturnos mais modernos.

Atualmente o noturno é uma obra para piano solo, já que no séc XIX foi onde ele começou a aparecer de forma mais evidente, e muitos compositores começaram a produzir para o piano nesse gênero.

Quem mostrou ao mundo e consagrou o estilo foi Frédéric Chopin (1810-1849) – pronuncia-se Chopã –, que aprimorou o noturno, acrescentando mais sofisticação e técnica, com um caráter mais dramático. Chopin compôs durante sua vida um total de 21 noturnos. Ele era um jovem de alma triste e criava canções que silenciavam os ouvintes. Ouvi-lo nos transmite uma sensação de quietude triste e ao mesmo tempo reflexiva.

Vale lembrar que os noturnos também foram escritos para orquestras e outros instrumentos, dando um caráter mais agitado à música.

Entre outros compositores notoriamente conhecidos por escreverem noturnos, estão Franz Liszt (1811-1886), Mikhail Glinka (1804-1857), Felix Mendelssohn (1809-1847) e Claude Debussy (1862-1918).

Composições de emoções afloradas e de sentimentalismo exacerbado, música doce e infantil, mas de profunda maturidade, os Noturnos exprimem toda a melancolia da noite e o quanto ela pode nos tocar.

Ouça sem moderação, embarque nessa viagem introspectiva e aproveite essas belíssimas melodias.

Playlist

Clique aqui para ouvir no Spotify


O Cravo Bem Temperado é uma coluna escrita por Vinícius Hilário, para nos aproximar da música erudita com um olhar atual e descomplicado.
Experimente, aprofunde-se, e deixe a boa música guiar suas emoções.

  • Muito bonito e melancólico. Bom para escutar a noite tomando um vinho.

    • Vinícius Hilario

      Sim, excelente. Parar e pensar na vida.