O Cravo Bem Temperado: Scheherazade

Por Vinícius Hilario

Vamos navegar nas Mil e Uma Noites?

Existem músicas que mostram seu poder já nos primeiros acordes, o que perdura por toda composição. Hoje eu irei falar sobre um das músicas mais forte e importantes que eu já escutei. Essa é a minha décima coluna, portanto resolvi falar de algo importante para mim. Você conhece músicas que o fazem ir além? Que por alguns minutos te transportam em um jornada de descobertas e mistérios? Pois bem, a que vou lhes mostrar é uma destas.

Nikolai Rimsky-Korsakov (1884-1908) é um compositor desconhecido fora do establishment erudito, mas quem o conhece jamais o esquece. Compositor russo de caráter nacionalista e original, possui em sua estrutura uma forte influência oriental.

Em sua suíte sinfônica Scheherazade (ou Sheherazade) o compositor apresenta temas magníficos em uma música que se inicia com acordes fortes de trombetas, anunciando a música, antes de os violoncelos tomarem conta, até que as flautas transversais entoem o tema e, de repente, outro violino aparece na obra de forma forte e visceral, trazendo o tema que irá perdurar até o final da composição. Uma suíte sinfônica é uma obra musical que apresenta movimentos reunidos em torno de uma ideia central, um tema, ou mesmo uma ideia.

Composta em 1888, a obra foi influenciada pelo livro “As Mil e Uma Noites”, uma compilação de contos do oriente médio e sul da ásia feita no século IX, difundida no folclore árabe, indiano e persa. A narrativa se inicia com a descoberta da traição de sua esposa pelo rei da Persia, a cada noite que viaja. O monarca acaba por matar a rainha e dali em diante selou o compromisso consigo mesmo de matar na manhã seguinte todas as mulheres com quem dormisse. Ele conhece então Scheherazade, que prevendo o próprio fim, começa a contar histórias sobre o mundo para, assim, entreter o rei para que ele a mantenha viva, afim de saber o desfecho dos episódios que contava. As lindas fábulas eram recitadas por Sheherazade com sua voz doce e calma, narrando histórias de aventuras de reis, viagens fantásticas de heróis e de mistérios, deixando o rei maravilhado com os contos sobre Simbad o marujo, Aladim e a Lâmpada Maravilhosa, e Ali Babá e os Quarenta Ladrões.

A obra musical de Korsakov posteriormente foi transformada em um Ballet, o que coube muito bem pelas notas dançantes e românticas.

O suíte sinfônica Scheherazade é dividido em

I - O mar e o navio de Simbad:

II - A história do Príncipe Kalender

III - O jovem príncipe e a jovem princesa

IV - Festa em Bagdá - Naufrágio do barco nas rochas

A obra de Korsakov não segue linearmente o livro e nem conta necessariamente uma história, ela funciona como um compilado de emoções da obra literária, que soa como flashes sobre a memória, mimetizando sua alma naquele momento.

O próprio Korsakov separou um texto para introduzir sua obra:

“O Sultão Shahryar, convencido da falsidade e da infidelidade das mulheres, promete casar com uma nova esposa e executá-la no dia seguinte até que não existam mais candidatas. Mas a Sultana Scheherazade salva sua própria vida entretendo-o com contos que ela mesma conta durante mil e uma noites, deixando cada estória incompleta até a noite seguinte. Movido pela curiosidade, o Sultão adia constantemente a execução, e por fim abandona completamente seu plano cruel. Muitas maravilhas Scheherazade relatou a ele, citando os versos dos poetas e as palavras das canções, tecendo conto dentro de conto e estória dentro de estória.”

Embarque nessa viagem além dos mares e sinta a música contando uma história.

Playlist

Clique aqui para ouvir no Spotify


O Cravo Bem Temperado é uma coluna escrita por Vinicius Hilario, para nos aproximar da música erudita com um olhar atual e descomplicado.
Experimente, aprofunde-se, e deixe a boa música guiar suas emoções.

  • rodolfo gutman

    Cheguei aqui pelo Iradex podcast 139 por indicação do Gabs e meu amigo, grande trabalho! Parabéns Vinícius!

    • Vinícius Hilario

      Obrigado <3