Arteiro

O frescor do espírito compensa qualquer risco de superficialidade.

Arteiro é um conto escrito por Gustavo Henrique, distribuído em primeira mão aqui no Contos Iradex. Embarque nessa leitura.


Arteiro

I

Quem dera meus potes encantados
Contessem de fato aquilo que digo.
Mas, ainda sem encanto, são admirados,
Pois veem no vazio um abrigo.

Comecei montado num personagem.
Trocávamos nossas aparições
No palco para garantir a imagem
Das principais recomendações:

- Um pote azul cura a solidão! -
Então encenava ir às cortinas
Mas corria para negar a doutrina

Que eu mesmo pregava à multidão.
Havia um truque para a troca de vestes
Enquanto ia e voltava do povo agreste.

II

Pendulando solitário e oculto,
Vivia a vontade de desmascarar-me
E a necessidade de provar-me
Frente a meus próprios insultos.

Subia no palco como um fulano
Ao passo que o vendedor postiço
Se escondia debaixo dos meus panos.
Espatifado no chão o pote gerava o feitiço,

A pólvora colorida que havia
Dentro fumaçava e impedia o público
De enxergar o que acontecia.

De repente retornava o ser místico
Revelando que o rapaz de antes
Voltou para o seio de suas amantes.

III

Magicamente a solidão acabara,
Meus braços se abriam para as palmas
E à noite podia gastar com calma
Nas amantes como o bruxo falara.

Convenci a todos da grande eficácia
Dos potes para qualquer tratamento.
- Escolha qual tirará seu sofrimento! -
Creem e se curam por minha audácia.

Hoje, sou os dois em apenas um só.
Tenho o maior e mais sortido
Acúmulo de esperanças em pó,

Tanto que no meio deles fico perdido.
Enfim, não desejo lhe reter.
Diga-me, qual pote você vai querer?


Esse conto foi escrito por Gustavo Henrique para o Contos Iradex.
Para reprodução ou qualquer assunto de copyright a autora e o blog deverão ser consultados.


Sobre o autor: Gustavo Henrique é professor, pesquisador, ilustrador e, para consumo doméstico, pratica poesia e música. Envolto em amores, se não vê aventuras pela frente ele inventa uma.
Sobre o projeto: Contos Iradex é um projeto colaborativo do site, com textos, contos, minicontos ou até livros mais curtos para a apreciação de vocês, leitores. Se você tiver uma história que merece ser contada, envie um e-mail para contos@iradex.net.
  • Robisom Lima

    Que coisa sensacional! Tudo para construir a atmosfera, deade a forma, o ritmo, as cores. Consigo ver o vendedor de esperanças entrando em um povoado agreste, em frente a igrejinha, os semblantes sofridos buscando alento… Lindo!!!