A Sensualidade do Universo

Uma gloriosa exploração aos confins da verdade do Universo nunca contada. A verdade sensual que nos permeia pelo espaço-tempo. Será que os sinais enviados pelo planeta Terra influenciam a eternidade espacial?

A Sensualidade do Universo é um conto escrito por Vinicius Caldas, distribuído aqui no Contos Iradex.


A Sensualidade do Universo

O Universo. Uma vastidão de estrelas, cometas, asteroides e sensualidade. Sim, o universo é realmente sensual. Nada mais belo e sexy do que assistir a uma supernova de uma superestrela resultando na extinção de sistemas planetários e transformando tudo e todos, num raio de milhares de quilômetros, em poeira estelar. Um desses planetas se chamava Waka-Waka. Tinha esse nome, pois os seres que viviam sem rumo e sem direção naquele planetinha, interceptaram um sinal de rádio terrestre e desde então Shakira reinou com seu ritmo empolgante e também sensual, como se repetia em todas as coisas do Universo.

Infelizmente, ou não, os habitantes de um longínquo Sistema Solar acabaram afetando quase todas as galáxias com sua cultura, manias e tudo mais. Malditos sejam aqueles seres sujos megalomaníacos do planeta Terra. Toda a paz a tranquilidade das galáxias foi atingida por sinais lamentavelmente enviados dos satélites terráqueos. Nunca foi a intenção dos humanos poluírem a vastidão Universal com suas músicas, imagens e vídeos. Porém a Sensualidade Primordial foi corrompida em alguns astros. A novela mexicana foi a pior das epidemias galácticas. No sistema Mex, guerras foram travadas por causa dessa praga.

Derramamento de sangue e a extinção foram causados na disputa entre dois povos para definir qual novela era melhor: Maria do Bairro ou A Usurpadora. A guerra teve fim quando um único seguidor com longos cabelos ruivos de uma nova vertente resolveu eclodir a estrela central que alimentava aquele sistema se dizendo um "Rebelde". Naquela supernova, que manteve a sensualidade primordial como belos fogos de artifício, foi levado o pobre planetinha Waka-Waka que dançou inteiramente até os fins dos dias em nome da deusa Shakira.

Uma pena, pois antes de idolatrarem aquele ritmo latino humanoide, eram considerados Mestres na Arte do Apaziguar e mantinham a paz em Mex. Essa foi apenas uma das muitas malditas reações em cadeia causadas pelos sinais terrestres.

Para entender a Sensualidade Universal precisamos voltar ao princípio do atual universo.

Dizem que um grande Deus criou tudo o que conhecemos. Desde um micro cristal escondido numa caverna do último astro conhecido antes da fronteira final da expansão espaço-temporal até os grandes gigantes moradores da maior estrela solar já vista. Outros dizem que todos os seres surgiram de composições musicais providenciadas do choque do Silencio e da Harmonia.

Ninguém sabe ao certo, mas nos piores bares dos piores cantos do universo circunda a lenda - e essa é a minha preferida - de que na verdade tudo não passou de uma aposta de dois seres opostos. Luz e Escuridão, Sombra e Claridade, Doce e Amargo, Bom e Mau, Metallica e Calypso. Cada lugar tem a sua versão, mas não importa como eram opostos, o que importa é que estavam de barriga cheia, depois de almoçarem alguns prótons e bósons vagantes na imensidão de vácuo, já que os nêutrons eram sem sabor naquela época da eternidade. Resolveram criar.

A aposta foi o seguinte: quem fizesse a melhor apresentação de pole dance galáctico venceria e poderia criar o próximo universo que viveria por alguns milhares de anos. Os anteriores não tinham dado certo, nunca dariam, mas valia a pena começar de uma maneira diferente e sexy. Isso explica o porquê do nosso Universo atual apresentar, mesmo que seja pouco, um vislumbre de sensualidade em todas as coisas. Tudo começou com uma dança erótica.

O único problema da apresentação seria o julgamento. Não tinham um jurado para definir a melhor dança e não confiavam em seres de outras dimensões. Então chamaram ou criaram, não sabe ao certo, uma raça de Boi Intergaláctico gigantesco chamado Grande B'Angus, vulgarmente apelidado pelos americanos como Big Bang.

Boatos diziam que uma vaca prima de Big Bang tinha dado origem a Via Láctea, mas isso é história pra outro momento.

Os Seres Opostos não tinham forma definida. Eram uma massa condensada de poeira estrelar e energia. Manipulavam a realidade da maneira que bem queriam então formaram juntos um palco com milhares de quilômetros de extensão e dois canos, um de cristal e outro de ouro, para se apresentarem ao Boi enorme que se encontrava bem no centro de tudo.

A apresentação do primeiro Ser Oposto em seu palco de cristal durou mais ou menos quatrocentos e quarenta e dois octilhões de anos ao som de Sidney Magal - que talvez tenha sido o primeiro choque do Silencio e da Harmonia na galáxia- e com pequenas pausas dramáticas para jogar baralho. Já a do outro durou apenas dois segundos para a surpresa dos fótons que estavam ali observando.

Ao final ambos perguntaram ao Grande B'Angus:

-Ousa-nos Boi Intergaláctico, qual foi a melhor apresentação? - Soaram juntos numa voz única profunda.

-Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!

-Como? Por favor, repita a resposta final para que um de nós inicie a criação!

-Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu! - novamente.

-Não estamos compreendendo, seja claro! - Rebateram já nervosos.

-Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu! - pela terceira vez.

Os Seres Opostos, que estavam cheios de brilho e maquiagem depois da apresentação de pole dance, se deram conta de que não falavam a língua dos Bois Intergaláticos. Aquilo foi uma frustração de níveis astronômicos, literalmente. Ficaram tão nervosos que sem pensar duas vezes, atacaram o Grande B'Angus. Todos sabem que as quintas feiras são proibidos os sacrifícios de Bovinos Intergalácticos como prevê o Código de Criação Universal, porém num momento de raiva atingiram o Boi com seus postes de cristal e ouro resultando na explosão causada pelo Big Bang.

Como as danças foram anteriores a explosão, a sensualidade prevaleceu.


Esse conto foi escrito por Vinicius Caldas para o Contos Iradex. Para reprodução ou qualquer assunto de copyright o autor e o blog deverão ser consultados.


Sobre o autor:Vinicius Caldas tem 21 anos e é natural de Atibaia-SP, conhecida como a Terra do Morango. Estudante de Publicidade, leitor de quadrinhos e Juramentado ao canal de culinária medieval Cozinha dos Tronos
Sobre o projeto: Contos Iradex é uma iniciativa daqui do site de colocar textos, contos, minicontos ou até livros mais curtos para a apreciação de vocês, leitores. Emendaremos algumas sequências com materiais da própria equipe e, em seguida, precisaremos de vocês para mais publicações. Se você tiver uma ideia de projeto, envie um e-mail para contos@iradex.net.
  • Uma viagem intergalática literalmente. Muita criatividade e referências de cultura inútil. Ou seja, ótimo!