29_12-nao-tenho-sorte-com-amigo-secreto

Especial de Natal: Não tenho sorte com amigo secreto

Meu amigo secreto não é amigo, é amiga. Ela é baixinha, e muito simpática. Minha amiga é a...

Não tenho sorte com amigo secreto é um conto da nossa série Especial de Natal, escrito por Luiza Lima, ilustrado por Nycolas Di e distribuído em primeira mão aqui no Contos Iradex.


Não tenho sorte com amigo secreto

Finalmente a época do ano que ela mais gosta chegou. Ela adora as cores, as luzes, as comidas e os presentes. Principalmente os presentes.

Ela adora dar presente. É daquelas pessoas que dedica um tempo considerável pensando no que dar, em como surpreender, em como agradar.

E não se engane, ela também gosta de ganhar presente. Gosta tanto dessa troca que sempre é a primeira a se animar com o Amigo Secreto. Participa de vários, e durante toda sua vida era comum ouvi-la dizer: “Não tenho sorte com amigo secreto”.

Todo ano era aquela ansiedade: primeiro a espera pelo sorteio, depois a busca pelo presente ideal, e a esperada revelação. Então, quase sempre acontecia o mesmo: seu amigo secreto não dava a mesma importância que ela. Pelo menos era o que ela achava.

Embora fosse uma pessoa muito fácil de agradar, ela sentia que não tinham pensado nela na compra: ora um cartão de presente, ora algo que ela nunca usaria. Assim, ela continuava repetindo: “Não tenho sorte com amigo secreto”, mas continuava fazendo seu melhor.

Até que, em determinado ano, não conseguia decidir o que dar de presente. Pensou, pensou e não encontrava nada que acreditasse que seu amigo secreto gostaria. Foi aí que teve a ideia de dar algo que gostaria de ganhar, pois assim pelo menos seu amigo lembraria dela toda vez que visse.

Começou a recordar dos presentes que havia ganhado: o vale compras de uma livraria de um amigo que adora ler e era muito prático, o CD da banda que ela nunca ouviria, mas que a amiga que deu adora, o DVD do filme que ela nunca quis ver, mas que o amigo que deu sempre indicou (e ela acabou gostando). Todos os outros presentes ganharam um novo significado.

Desde então ela deixou de acreditar em sorte, apenas diminuiu as expectativas e esperou os presentes, do amigo secreto e da vida, chegarem, de braços abertos apreciando e agradecendo cada um deles. Só de pensar em alguém gastando um pouquinho de seu tempo pensando no que dar a ela, ficava feliz.
Afinal, certamente, alguém abriu um presente dela e também pensou: “Não tenho sorte com amigo secreto”.


Esse conto foi escrito por Luiza Lima e ilustrado por Nycolas Di para o Contos Iradex. Para reprodução ou qualquer assunto de copyright o autor e o blog deverão ser consultados.


Sobre o autor: Luiza Lima é mestre em matemática, professora universitária e cozinheira nas horas vagas. Adora cozinhar para os amigos e é mais fã de Raça Negra que o meninozinho do Sílvio Santos.
Sobre o projeto: Contos Iradex é uma iniciativa daqui do site de colocar textos, contos, minicontos ou até livros mais curtos para a apreciação de vocês, leitores. Emendaremos algumas sequências com materiais da própria equipe e, em seguida, precisaremos de vocês para mais publicações. Se você tiver uma ideia de projeto, envie um e-mail para contos@iradex.net.
  • Felipe Lopes

    Essa Diva e maravilhosa em tudo! Como pode isso?
    Parabéns pelo conto, reflexivo e bem real!
    Bju e obrigado pela nova perspectiva sobre o assunto.

  • James Silva

    Maravilha Albertô!! Arrasou Luija.